Cirurgia de Mamoplastia Redutora

Cirurgia de Mamoplastia Redutora
5 (100%) 14 votos

Cirurgia de Mamoplastia Redutora

Cirurgia de Mamoplastia Redutora

Cirurgia de Mamoplastia Redutora

Ilustração do resumo de Cirurgia de Mamoplastia Redutora pelo Dr.Cláudio Lemos

Melhore a Aparência com a Cirurgia de Redução de Mama

Seios excessivamente grandes podem causar, em algumas mulheres, problemas emocionais e de saúde. O peso do tecido mamário em excesso pode prejudicar sua capacidade de levar uma vida ativa. O desconforto emocional e o autoconhecimento, muitas vezes, associados a seios grandes e caídos, é um problema para muitas mulheres, pois podem causar desconforto e dor.

P: A Cirurgia de Mamoplastia Redutora é Indicado Para Mim?

R: A cirurgia de redução de mama é um procedimento individualizado e você deve fazê-lo para si mesma, não para satisfazer os desejos de outra pessoa ou para tentar se adaptar a qualquer tipo de imagem ideal.

Indicações da Cirurgia de Mamoplastia Redutora:

  • Você está incomodada com a sensação de que seus seios são muito grandes;
  • Seus seios limitam sua atividade física;
  • Você tem dor nas costas, pescoço e ombro causada pelo peso de seus seios;
  • Você tem depressão nos ombros, no lugar das alças do sutiã, devido ao peso de seus seios;
  • Você tem irritação da pele abaixo do sulco da mama;
  • Seus seios são flácidos e pendentes;
  • O mamilo está abaixo do sulco da mama quando seus seios não são sustentados;
  • Você tem aréolas alargadas e pele flácida.

A cirurgia de mamoplastia redutora é realizada com uma incisão ao redor da aréola, outra incisão vertical e, por último, uma incisão horizontal, perfazendo um “T” invertido, de acordo com a técnica do prof. Ivo Pitanguy. Essa cirurgia é indicada para mamas grandes, que precisam ter seu volume bastante reduzido e seu perfil levantado, resultando em um aspecto atraente e confortável. A plástica dos seios devolve às mulheres sua atividade e qualidade de vida.

No exame físico, avalia-se simetria das mamas, posição das aréolas, volume dos seios, tipo e espessura da pele, flacidez, se há preenchimento do polo superior dos seios, largura da base das mamas, presença ou não de nódulos, extravasamento de leite, assaduras nos sulcos infra mamários, posição onde as mamas terminam lateralmente. Além disso, há uma avaliação global da paciente, levando-se em consideração seu peso e altura, a fim de saber da possibilidade de se realizar a cirurgia no peso atual ou mesmo projetar qual seria o tamanho proporcional final dos seios após a mamoplastia redutora, cirurgia plástica dos seios.

Procedimentos Cirúrgico de Redução dos Seios

O Que Acontece Durante a Cirurgia de Redução dos Seios?

A cirurgia de redução dos seios geralmente é realizada através de incisões nas mamas com a remoção cirúrgica do excesso de gordura, do tecido glandular e de pele. Em alguns casos, o excesso de gordura pode ser removido através de lipoaspiração, em conjunto com as técnicas descritas abaixo. A técnica usada para reduzir o tamanho de seus seios será determinada por suas particularidades anatômicas, composição da mama, quantidade de redução desejada, suas preferências pessoais e aconselhamento do cirurgião.

Etapa 1 – Anestesia

Medicamentos são administrados para o seu conforto durante a cirurgia de redução dos seios. As opções incluem sedação intravenosa e anestesia geral. Seu médico irá recomendar a melhor opção para você.

Etapa 2 – Incisão

Opções de Incisão Incluem:

Padrão circular em torno da aréola. As linhas de incisão que permanecem são visíveis e as cicatrizes permanentes, no entanto, geralmente ficam bem escondidas sob o maiô ou sutiã. Padrão de fechadura ou forma de raquete, com uma incisão ao redor da aréola e, verticalmente, para baixo, até o sulco da mama, Padrão de incisão em forma de T invertido ou de âncora.

Etapa 3 – Remoção do Tecido e Reposicionamento

Após a incisão, o mamilo (que permanece com seu suprimento sanguíneo original) é reposicionado. A aréola é reduzida através da excisão de pele no perímetro, se necessário. Tecido mamário subjacente é reduzido, levantado e modelado. Ocasionalmente, em casos de seios extremamente grandes e pendentes, o mamilo e a aréola podem precisar ser removidos e transplantados para posição mais alta no seio (mamilo enxerto livre).

Etapa 4 – Fechando As Incisões

Aproximam-se as incisões para remodelar a mama, agora, em menor tamanho. As suturas são realizadas em camadas profundas dentro do tecido mamário para criar e sustentar os seios; suturas, adesivos, pele e/ou fita cirúrgica podem fechar a pele. As cicatrizes são permanentes, mas, na maioria dos casos, tendem a melhorar significativamente ao longo do tempo.

Etapa 5 – Resultados

Os resultados da cirurgia de redução dos seios são imediatamente visíveis. Com o tempo, o inchaço diminui.

P: Quanto Tempo Dura o Ato Cirúrgico da Mamoplastia Redutora?

R: O procedimento cirúrgico da mamoplastia leva dependendo de cada tipo de mama, de duas e meia a 4 horas, podendo-se estender um pouco mais, em certos casos. Entretanto, o tempo de ato cirúrgico da mamoplastia não deve ser confundido com o tempo de permanência do paciente no ambiente de Centro Cirúrgico, pois esta permanência envolve também o período de preparação anestésica e recuperação pós-operatória. Seu médico poderá lhe informar quanto ao tempo total.

Como Ficarão As Minhas Novas Mamas, em Relação Ao Tamanho e Consistência?

As mamas podem ter seu volume reduzido através da cirurgia de mamoplastia; além disso sua consistência e forma também são melhoradas com a cirurgia. Assim é que, para os casos de redução de volume e levantamento de sua posição, podemos optar por vários volumes, dentro das possibilidades que a mama original nos permita planejar, sem comprometê-la futuramente. Aqui, como no caso do aumento do volume, deverão ser equilibradas as proporções entre o volume da nova mama e o tamanho do tórax da paciente a fim de obtermos maior harmonia estética. Nessa ocasião procura-se melhorar o aspecto quanto à flacidez e a forma da mama original. As “novas mamas” passam por vários períodos evolutivos, em relação à sua forma:

a) Período Imediato: Vai até o 30º dia. Neste período, apesar das mamas apresentarem-se com seu aspecto bem melhorado, sua forma ainda está aquém do resultado planejado, pois, para que se atinja a forma definitiva ainda existem “pequenos defeitos” aparentes iniciais (inevitáveis em todos os casos), que desaparecem com o decorrer do tempo Lembre-se desta observação: seu resultado final somente ocorrerá após o período tardio.

b) Período Mediato: Vai do 30º dia até o 8º mês. Neste período, a mama começa a apresentar uma evolução que tende à forma definitiva o que ocorrerá após o 8º mês. Poderão ocorrer neste período aumento ou diminuição da sensibilidade do mamilo, além de maior ou menor grau de “inchaço ” das mamas; além disso, sua forma está aquém da definitiva. Apesar da euforia da maioria das pacientes, já neste período costumamos dizer às mesmas que seu resultado ficará melhor ainda, pois isto será a característica do 3º período (tardio).

c) Período Tardio: Vai do 8º ao 18º mês. É o período em que a mama atinge seu aspecto definitivo (cicatriz, forma, consistência, volume, sensibilidade). É neste período que costumamos comparar fotograficamente os casos operados com o aspecto pré-operatório de cada paciente. Tem grande importância, no prognóstico do resultado final, o grau de elasticidade da pele das mamas bem como o volume conseguido. O equilíbrio entre ambos varia de caso a caso.

P: A Cirurgia de Mamoplastia Redutora Deixa Cicatrizes?

R: Esta cirurgia de mamoplastia redutora permite-nos colocar as cicatrizes bastante escondidas, o que é muito conveniente nos primeiros meses. As cicatrizes passarão, obrigatoriamente, por diversas fases até que se atinja a fase final de maturação.

Assim Que Temos:

a) Período Imediato: Vai até o 30º dia e apresenta-se com aspecto pouco visível Alguns casos apresentam uma discreta reação aos pontos ou ao curativo.

b) Período Mediato: Vai do 30º dia até o l2º mês. Neste período haverá um espessamento natural da cicatriz, bem como uma mudança na tonalidade de sua cor, passando do “vermelho para o “marrom” que vai, aos poucos, clareando. Este período, o menos favorável da evolução cicatricial, é o que mais preocupa as pacientes. Como não podemos apressar o processo natural de cicatrização, recomendamos às pacientes que não se preocupem, pois o período tardio se encarregará de diminuir os vestígios cicatriciais.

c) Período Tardio: Vai do 12º ao 18º mês. Neste período a cicatriz começa a tornar-se mais clara e menos consistente atingindo, assim, o seu aspecto definitivo. Qualquer avaliação do resultado definitivo da cirurgia das mamas deverá ser feita após este período.

A mamoplastia redutora pode ser realizada em pacientes a partir dos 15 a 16 anos de idade, uma vez que a primeira menstruação não demorou muito para acontecer.

P: No Caso de Uma Nova Gravidez, o Resultado Permanecerá ou Será Prejudicado?

R: O seu ginecologista lhe dirá da conveniência ou não de nova gravidez. Quanto ao resultado, poderá ser preservado, desde que aquele especialista controle seu aumento de peso na nova gestação. Geralmente não há problema, em caso de nova gravidez. Quando se tratar de mamas muito grandes, que foram reduzidas acentuadamente, a lactação poderá ficar prejudicada. Em casos de pequenas e médias reduções a lactação poderá ser preservada. Alguns pacientes poderão apresentar diminuição da sustentação da pele mamária.

P: Qual O Tipo de Anestesia é Utilizado na Mamoplastia?

R: A Anestesia poderá ser feita com Anestesia geral, peri-dural ou associada, a critério da Equipe Anestésica.

Recuperação Pós-Operatória

Procedimento de redução da mama é finalizado, gazes e micropore serão aplicados nas incisões. Uma bandagem elástica ou sutiã podem ser usados para minimizar o inchaço e sustentar os seios. Um dreno pode ser temporariamente colocado sob a pele para drenar qualquer excesso de sangue e de fluido que possam acumular.

Instruções Especiais Lhe Serão Dadas e Incluem:

Como cuidar de seus seios após a cirurgia de redução de mama, medicamentos para tomar por via oral para ajudar a reduzir o risco de infecção, preocupações sobre o local da cirurgia ou sua saúde geral, e acompanhamento com o seu cirurgião plástico.

Glossário:

  • Aréola – Pele pigmentada ao redor do mamilo;
  • Redução da Mama – Também conhecida como mamoplastia redutora, é a remoção cirúrgica do tecido mamário para reduzir o tamanho dos seios;
  • Anestesia Geral – Drogas e/ou gases utilizados durante a cirurgia para aliviar a dor e diminuir a consciência;
  • Hematoma – Acúmulo de sangue sob a pele;
  • Sedação Intravenosa – Sedativos administrados por injeção na veia para ajudar a relaxar;
  • Lipoaspiração – Procedimento que aspira a gordura por debaixo da superfície da pele para reduzir o volume;
  • Anestesia Local – Droga injetada diretamente no local da incisão durante a cirurgia para aliviar a dor;
  • Mamografia – Uma imagem de raios-x da mama;
  • RM (Ressonância Magnética) – Exame indolor para avaliar o tecido da mama, semelhante a um raio-x;
  • Mamoplastia Redutora – Remoção cirúrgica de tecido da mama para reduzir o tamanho dos seios, também conhecida como cirurgia de redução da mama;
  • Suturas – Pontos utilizados pelos cirurgiões para manter a pele e o tecido unidos.

Quanto Custa uma Cirurgia de Mamoplastia Redutora?

O custo em relação a uma Cirurgia Plástica de Mamoplastia Redutora é uma das perguntas mais frequentes que recebemos na nossa página do site e através dos nossos telefones. É bem difícil encontrar também esta resposta na internet, a não ser que um paciente revele, e mesmo assim, o valor varia de pessoa para a pessoa por diversos motivos. A prática de divulgação de valores de serviços é vetada pela lei. Segundo a RESOLUÇÃO 1.974/11 do CFM, 6. Proibições gerais – XIV: (…) é vedado ao médico: divulgar preços de procedimentos, modalidades aceitas de pagamento/parcelamento ou eventuais concessões de descontos como forma de estabelecer diferencial na qualidade dos serviços.

Em relação ao valor variar de pessoa para pessoa e de clínica para clínica, conforme a RESOLUÇÃO CFM Nº 1.836/2008, Art. 3º: Cabe ao médico, após os procedimentos de diagnóstico e indicação terapêutica, estabelecer o valor e modo de cobrança de seus honorários, observando o contido no Código de Ética Médica, referente à remuneração profissional. A clínica e o cirurgião plástico não vendem um produto e sim um serviço, e esse serviço é personalizado, cada paciente vai ter a sua particularidade, um diferente resultado, uma complicação de saúde que merece atenção redobrada, uma expectativa e até mesmo métodos diferentes para o mesmo procedimento em outra pessoa, por exemplo.

Parece simples, mas o valor de uma cirurgia plástica não é tabelado. Depende de uma série de fatores e para o cirurgião poder avaliar todos esses fatores, ele necessita, invariavelmente, de uma consulta. Além dos honorários médicos, outros custos estão envolvidos, como honorários do anestesista, instrumentador (a), cirurgião auxiliar, custos da clínica/hospital (que podem variar dependendo do material utilizado; se o paciente precisa passar a noite, ou se precisa uma diária extra, eventualmente), valor da prótese entre outras necessidades do procedimento. A decisão de submeter-se a uma cirurgia plástica deve ser bem pensada. A economia em alguns casos pode significar um problema muito grande no futuro, por isso é importante ter certeza e investir em um bom profissional.

Mais Informações no Vídeo: