Sindrome de Romberg

Sindrome de Romberg
4.5 (90.77%) 13 votos

Síndrome de Romberg

A face é, provavelmente, a região do corpo a que mais chama a atenção, já que ela está sempre exposta. Por isso, a síndrome de Romberg é uma doença bastante prejudicial, já que ela acomete principalmente a região do rosto, fazendo com que ele fique deformado.

Por mais que a síndrome de Romberg tenda a deixar seus portadores descontentes e insatisfeitos com os seus corpos, é possível contornar os efeitos dessa doença com um tratamento cirúrgico, que pode fazer com que o paciente volte a ter uma vida normal e se sinta feliz com sua aparência.

É importante entender mais sobre essa doença, que não é muito conhecida por ser bastante rara. Assim, será possível saber melhor o que ela causa e como o tratamento é realizado.

Tomografia Demostrando Atrofia da Hemiface Esquerda

Tomografia Demostrando Atrofia da Hemiface Esquerda.

 

O Que é Síndrome de Romberg?

Também conhecida por outros nomes, como síndrome de Parry-Romberg, atrofia hemifacial progressiva (AHP) ou hemiatrofia facial progressiva (HFP), ela é uma doença progressiva que atinge a região da cabeça.

Ela é caracterizada como uma degeneração progressiva lenta dos tecidos moles do rosto, principalmente do lado esquerdo, como a pele, os tecidos subjacentes, as estruturas cartilaginosas e até mesmo os ossos. Tal síndrome também pode acometer o lado esquerdo do corpo, embora isso seja bem raro.

A maior parte das pessoas afetadas são mulheres, mas a diferença não é muito grande. Essa constatação, inclusive, não é defendida por todos os médicos e profissionais do ramo, já que alguns dizem que não existe diferença de sexo para sua ocorrência.

A condição da síndrome de Romberg é bem rara: estima-se que 1 pessoa a cada 500.000 ou 700.000 sejam portadoras dessa síndrome. Portanto, pela estimativa, de 300 a 420 pessoas devem ter essa doença em todo o Brasil.

Quando a Síndrome de Parry Romberg Começa a Aparecer?

Os casos variam, já que as características e condições de cada paciente são diferentes. Porém, a maior parte dos pacientes passa a apresentar essa síndrome entre os 5 e os 15 anos de idade, ou seja, na transição da infância para a adolescência.

Essa é uma idade um tanto quanto complicada, já que é a fase escolar, em que os amigos e colegas da escola podem até mesmo faltar com o respeito com o portador da síndrome. Logo, além das implicações estéticas e eventualmente funcionais, o lado emocional do paciente também pode ser abalado.

Quais São as Características da Síndrome de Romberg?

Como foi citado anteriormente, o lado esquerdo do rosto do paciente é afetado pela síndrome e passa a ficar com um aspecto mais deformado. Além das alterações estéticas, o paciente também pode sofrer consequências funcionais, como dificuldade para falar e mastigar, por exemplo.

Pode ser que os braços, o peito e o pescoço também sejam afetados pela síndrome de Parry Romberg, embora isso seja muito menos comum. O cabelo do lado que tiver sido afetado pode ficar branco e até mesmo cair, além de a face poder ficar com algumas manchas.

Existem algumas condições que podem acompanhar a síndrome de Romberg, como convulsões, enxaquecas, paralisia de uma das partes do corpo, esclerodermia linear e nevralgia do trigêmeo, que também é conhecida como tique doloroso, considerada uma das dores mais intensas que existem.

É possível verificar algumas dessas características ao se realizar um exame de radiografia, como a atrofia em um dos lados do corpo; sinais de matéria branca do mesmo lado (mais comum) ou do outro lado (menos comum) do cérebro em que o problema foi detectado; atrofia parenquimal, microhemorragias cerebrais; calcificação parenquimal e aneurismas intracraniais.

Portanto, é possível perceber que a síndrome de Romberg pode ocasionar vários outros problemas de saúde, o que a torna bastante complicada para os portadores.

É Possível Tratar a Síndrome de Romberg?

A síndrome de Parry-Romberg é incurável. Porém, ainda assim, é possível tratar os seus efeitos, de modo a amenizá-los e fazer com que o paciente leve uma vida mais normal e fique satisfeito com o seu corpo.

Vários tipos de cirurgia plástica masculina podem ser feitos para corrigir as deformidades causadas pela síndrome. A cirurgia de enxerto de gordura é uma das mais comuns, já que permite preencher a região afetada pela atrofia e deixá-la o mais próximo possível da normalidade.

Em alguns casos, pode ser que a região dos olhos ou dos dentes também sejam afetadas pela síndrome de Romberg, que são sintomas nem tão recorrentes assim, mas que podem acontecer. Nesses casos, já não compete ao cirurgião plástico o tratamento dessas regiões, mas sim aos médicos competentes por tais especialidades.

Ilustração Demostrando a Transferência de Gordura o Qual Vai Ser Enxertada

Ilustração Demostrando a Transferência de Gordura o Qual Vai Ser Enxertada.

Quando o Paciente Deve Recorrer à Cirurgia de Síndrome de Romberg?

A reação do paciente a essa síndrome é variável. Enquanto alguns se sentem bastante incomodados e desejam se livrar desse problema de uma vez por todas, outros podem não se importar muito em continuar com ele.

Por isso, não existe um momento ideal ou uma data específica para que o paciente procure pelo tratamento: tudo depende dele e do que ele sente.

Porém, caso o paciente realmente tenha interesse em realizar uma cirurgia de síndrome de Parry-Romberg, é essencial que ele aguarde até que a doença já esteja completamente manifestada e atingido um nível de estagnação.

Essa decisão deve ser tomada devido ao fato de que a realização de uma cirurgia antes que a doença esteja totalmente desenvolvida pode fazer com que a face ainda continue mudando, o que é bastante indesejado, já que seria necessária a realização de novas cirurgias para obter bons resultados novamente.

Ilustração Demostrando a Gordura Coletada da Área Doadora

Ilustração Demostrando a Gordura Coletada da Área Doadora.

 

Quem Deve Procurar Para a Realização da Cirurgia da síndrome de Romberg?

É essencial procurar por um cirurgião devidamente capacitado, que conheça a fundo essa síndrome e saiba quais são as melhores formas de tratá-la. Afinal de contas, optar por procedimentos que não sejam seguros ou que sejam feitos por profissionais duvidosos pode ser bastante perigoso.

Por isso, é imprescindível que o paciente procure por um cirurgião plástico que possa atendê-lo a contento, sempre com o intuito de garantir a sua saúde e também a obtenção dos melhores resultados possíveis.

O Dr.Cláudio Lemos é um cirurgião plástico estético que oferece os tratamentos necessários para a síndrome de Romberg, de modo que esse problema seja tratado com alta qualidade e de acordo com as técnicas mais avançadas do segmento de cirurgia plástica. Assim, o paciente terá todas as suas expectativas superadas e poderá voltar a ter uma vida normal.

Quanto Custa uma Cirurgia de Síndrome de Romberg

O custo em relação a uma cirurgia de síndrome de Romberg, é uma das perguntas mais frequentes que recebemos na nossa página do site e através dos nossos telefones. É bem difícil encontrar também está resposta na internet, a não ser que um paciente revele, e mesmo assim, o valor varia de pessoa para a pessoa por diversos motivos. A prática de divulgação de valores de serviços é vetada pela lei. Segundo a RESOLUÇÃO 1.974/11 do CFM, 6. Proibições gerais – XIV: (…) é vedado ao médico: divulgar preços de procedimentos, modalidades aceitas de pagamento/parcelamento ou eventuais concessões de descontos como forma de estabelecer diferencial na qualidade dos serviços.

Em relação ao valor variar de pessoa para pessoa e de clínica para clínica, conforme a RESOLUÇÃO CFM Nº 1.836/2008, Art. 3º: Cabe ao médico, após os procedimentos de diagnóstico e indicação terapêutica, estabelecer o valor e modo de cobrança de seus honorários, observando o contido no Código de Ética Médica, referente à remuneração profissional. A clínica e o cirurgião plástico não vendem um produto e sim um serviço, e esse serviço é personalizado, cada paciente vai ter a sua particularidade, um diferente resultado, uma complicação de saúde que merece atenção redobrada, uma expectativa e até mesmo métodos diferentes para a realização da Cirurgia de Síndrome de Romberg em outra pessoa, por exemplo

Parece simples, mas o valor de uma Cirurgia de Síndrome de Romberg não é tabelado. Depende de uma série de fatores e para o cirurgião poder avaliar todos esses fatores, ele necessita, invariavelmente, de uma consulta. Além dos honorários médicos, outros custos estão envolvidos, como honorários do anestesista, instrumentador (a), cirurgião auxiliar, custos da clínica/hospital (que podem variar dependendo do material utilizado; se o paciente precisa passar a noite, ou se precisa uma diária extra, eventualmente), valor da prótese entre outras necessidades do procedimento. A decisão de submeter-se a uma cirurgia plástica deve ser bem pensada. A economia em alguns casos pode significar um problema muito grande no futuro, por isso é importante ter certeza e investir em um bom profissional.

Entre em Contato